elástico ortodôntico

Detalhes importantes que você precisa saber sobre o elástico ortodôntico!

Os elásticos ortodônticos são frequentemente utilizados em tratamentos para a correção dos dentes, exercendo um papel auxiliar no processo. Isso, claro, não minimiza a sua importância. Seja no descruzamento de dentes ou em mecânicas intermediárias de correção, você, como clínico, dependerá dessa ferramenta, por mais simples que ela pareça ser.

Sua eficiência, no entanto, depende significativamente de quem o manuseia. Ou seja, das habilidades e conhecimentos do próprio dentista. Por isso, neste blog, nós iremos rever alguns detalhes simples a respeito do elástico ortodôntico, mas que muitas vezes não estão plenamente claros para o ortodontista.

Os elásticos ortodônticos e seus efeitos colaterais

O elástico ortodôntico é responsável por criar forças intermitentes sobre os dentes para que eles se movimentem. Ou seja, o objetivo é atuar sobre a estrutura dentária. E toda força mecânica apresenta efeitos colaterais. Cabe ao ortodontista acompanhar o paciente adequadamente e sempre radiografaro processo, e isso para que efeitos indesejados sejam evitados. Como é o caso da lesão que leva à reabsorção radicular, que acaba por encurtar a raiz do dente.

Ao aplicar os elásticos intermaxilares, é necessário estar sempre atento para quais direções a força mecânica será direcionada. Para que não aconteça de se exercer movimentos errados. Se um elástico ortodôntico classe 2 for utilizado de forma unilateral, por exemplo, há grandes chances de isso levar à inclinação do plano oclusal frontal. Por isso, recomenda-se a colocação de ganchos de apoio no braquete do aparelho. Dessa forma, direciona-se a força mais adequadamente, de modo a reduzir as chances de sequelas.

Classificação de força: fraco, médio, forte

Os elásticos ortodônticos possuem forças variadas, podendo apresentar classificação fraca, médio ou forte. Em cada tratamento será necessário utilizar um elástico de força apropriada — a qual é indicada na embalagem do produto!

Mas é preciso frisar que o elástico precisa ser distendido três vezes o seu tamanho na hora da aplicação para que a força indicada na embalagem seja obtida. Isso significa que ele apresenta um determinado tamanho quando está em repouso. Mas que deve crescer três vezes mais para que a força seja exercida na dose ideal para o tratamento.

Vale lembrar que essa força é reduzida em cerca de 30% quando o elástico entra em contato com a saliva. Por isso, ele deve ser trocado todos os dias para que continue a ser eficiente.

A alergia ao elástico ortodôntico

Alguns elásticos ortodônticos são produzidos em látex, e alguns pacientes apresentam alergia a esse material. A maioria certamente nem tem conhecimento a respeito do problema. Sendo assim, é essencial sempre manter um olhar atento para eventuais reações na cavidade oral após o início do uso do elástico. Pois a alergia ao látex pode se agravar em razão de reações respiratórias, sistêmicas e dermatológicas.

Caso a alergia seja detectada, uma alternativa aos elásticos de látex são os de elásticos de silicone. Contudo, eles perdem a força mais rapidamente. Por isso precisam ser trocados com maior frequência: 2 ou 3 vezes por dia, conforme o necessário.

A colaboração do paciente com o elástico ortodôntico é fundamental

As consultas com o dentista acontecem geralmente uma vez ao mês. Em outras palavras, se o paciente não entender a importância do uso do elástico para o tratamento: o modo como deve ser usado, e seguir as instruções adequadamente, o tratamento será prejudicado e atrasado.

Confira a seguir algumas recomendações para ter certeza de que o paciente estará na mesma página que você quando o assunto for os elásticos ortodônticos!

  • Deixe claro o porquê do uso do elástico. Dessa forma, o paciente se dedicará mais para usá-lo corretamente, todos os dias;
  • Ele irá fazer isso durante um mês todo sozinho, então precisa saber perfeitamente como usar seu elástico. Não podem haver dúvidas. É essencial mostrar com cuidado como o material deve ser colocado. Use um espelho para apontar os dentes e locais onde o instrumento deverá ficar preso;
  • Mostrar pode não ser suficiente, então peça ao paciente para fotografar o posicionamento do elástico se for o caso. Pois é normal esquecer, mas dificilmente alguém retorna ao consultório para esclarecer uma dúvida;
  • Outra dica é colocar uma ligadura de cor diferente no dente onde o elástico será posto;
  • Alerte sobre a dor que pode ser sentida durante os dois primeiros dias. Recomende analgésicos, mas reforce a ideia de que o elástico não pode ser deixado de lado;
  • A mobilidade causada pelo elástico pode assustar o paciente, isso porque dá a impressão de que os dentes estão moles. Deixe claro que isso é natural e não um motivo para abandonar o uso do instrumento.

Encontrou alguma informação nova ou que foi negligenciada por algum motivo? Esperamos que este blog tenha ajudado você! Afinal, os elásticos ortodônticos são instrumentos simples mas muito mais necessários do que aparentam ser!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.