Ácido Fosfórico

O que você precisa saber sobre o ácido fosfórico?

O ácido fosfórico é uma substância muito empregada na odontologia, pois é graças a ela que materiais utilizados durante restaurações conseguem ter uma maior aderência às estruturas dos dentes. Caso, por exemplo, um paciente vá ao seu consultório para uma restauração por causa de uma cárie, o ácido fosfórico será indispensável para fazer a colagem durante o procedimento.

Essa substância, porém, ainda pode gerar algumas questões. Tanto em profissionais quanto em pacientes. Por isso, neste blog, reunimos algumas informações bem importantes. Assim você poderá se informar e também ajudar seu paciente em caso de dúvidas.

O ácido fosfórico e suas características na odontologia

O ácido fosfórico também é conhecido por ácido ortofosfórico e tem presença marcada em diversas áreas da saúde, ganhando especial destaque na odontologia.

A substância não costuma ser utilizada em seu estado puro. Ao invés disso, representa um dos ingredientes para a fabricação de certos produtos, ou seja, o ácido vem combinado a outros elementos. Em geral, nós o encontramos na forma de gel, de base aquosa, em uma porcentagem de aproximadamente 37%.

O produto normalmente tem uma cor bastante característica: a azul. Ela faz com que ele ganhe destaque. A cor é adquirida por meio do uso de corantes e é essencial para que o profissional da odontologia possa aplicar o ácido corretamente. Tanto em quantidade quanto em uniformidade.

Além disso, o ácido fosfórico pode ser removido facilmente com água após o condicionamento.

Principais usos do ácido fosfórico na odontologia

Confira uma lista com os principais usos do ácido fosfórico na odontologia:

  • cimentação em componentes protéticos e de bráquetes para aparelho ortodôntico;
  • restauração de resina composta;
  • uso de selante e de materiais resinosos.

É importante ressaltar que a aplicação do ácido fosfórico precisa ser feita por um profissional equipado adequadamente. Sempre use máscara, luvas e óculos de proteção. Nesse caso, os pacientes também devem ficar protegidos. Por isso, disponibilize avental e óculos de proteção. Para evitar contato do ácido com os olhos e a pele. Recomenda-se, ainda, manipular o produto longe deles.

Também é de extrema importância verificar se o paciente apresenta algum tipo de alergia ou sensibilidade a algum dos elementos que compõem o gel. Em caso afirmativo, o produto não poderá ser utilizado.

Os diferentes condicionamentos do ácido fosfórico

O condicionamento, citado brevemente acima, é uma técnica necessária para que a aplicação do ácido fosfórico seja possível na odontologia. A aplicação pode ser feita de duas formas, veja a seguir:

Condicionamento parcial

O condicionamento parcial é mais simples, e o ácido fosfórico é aplicado unicamente sobre o esmalte do dente. Por essa razão é conhecido também como condicionamento ácido do esmalte.

A aplicação do produto cria poros com uma profundidade que vai de 5 a 50 micrometros (µm). Dessa forma, os materiais restauradores que serão colocados conseguem ter maior adesão.

Feita a aplicação da substância, deve-se lavar a área por 15 segundos e depois realizar a secagem.

Condicionamento total

Durante o condicionamento total do ácido fosfórico, por outro lado, a aplicação não é feita apenas sobre o esmalte do dente, mas também na dentina.

Mas é preciso ficar atento a isso, porque a dentina tem uma anatomia tecidual diferente do esmalte. Então, se houver qualquer tipo de erro na realização de um condicionamento total, o paciente pode ficar com alguma sequela. Caso a dosagem seja inadequada, por exemplo, ele pode desenvolver hipersensibilidade.

Alguns estudiosos da área apontam, inclusive, que o ácido fosfórico pode causar danos à dentina. E, por essa razão, não recomendam o condicionamento total.

Caso, no entanto, você o julgue necessário, analise com cuidado o que essa aplicação pode resultar na saúde do seu paciente e tome sempre muito cuidado.

Precauções para evitar corrosão

Além do que já foi apontado anteriormente, há ainda algumas precauções que devem ser empregadas para evitar a corrosão dos dentes do paciente.

Primeiramente, para não atingir os dentes vizinhos ao dente tratado, use tiras de poliéster ou faça barreiras com um equipamento fotopolimerizador. Assim, o esmalte das peças que não fazem parte da restauração não tem perigo de ser corroído.

Agora, para evitar a corrosão excessiva, o profissional deve prestar sempre bastante atenção ao tempo de permanência do ácido fosfórico sobre os dentes do paciente.

Trata-se de uma substância que exige cuidado, mas que também é essencial em cada uma de suas aplicabilidades. Por isso, é tão importante se manter informado para tranquilizar e proteger os pacientes.

Esperamos que este blog sobre os usos do ácido fosfórico tenha sido de alguma ajuda para você. Nós, da OdontoMaster, reunimos o que há de melhor na área odontológica em um só lugar. Então confira nosso blog e nossa loja online sempre que estiver em busca de compromisso e qualidade. Estamos à sua disposição!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.